Objetivos do Projeto

A execução realística de música distribuída na Internet (e em redes de computadores em geral) representa um desafio recorrentemente explorado na literatura científica relacionada, mas que, por conta da complexidade dos fatores envolvidos, ainda não possui abordagens satisfatórias.

Os resultados a serem alcançados pelo GT-SiM (objetivos específicos do projeto) são apresentados resumidamente abaixo:

  1. Com base em requisitos coletados junto a músicos e produtores musicais, especificar, desenvolver e validar um protótipo de serviço para experimentação musical distribuída. O serviço deverá prover facilitadores para a composição, execução e reprodução de peças musicais envolvendo músicos distribuídos geograficamente e interconectados através das redes ligadas ao backbone da RNP.
  2. Projetar e desenvolver mecanismos específicos para permitir que os usuários do serviço possam tratar aspectos de latência e variação de latência na transmissão de áudio durante atividades de experimentação musical (composição e execução). Tais mecanismos devem viabilizar a produção de peças musicais coerentes em cada um dos pontos envolvidos.
  3. Analisar outras iniciativas (serviços e sistemas) de cunho similar e estabelecer um panorama que permita uma melhor compreensão das diferentes estratégias utilizadas para viabilização de música em rede, de forma a melhor entender toda problemática envolvida e, se possível, estabelecer estratégias de integração e/ou compatibilização com esses diferentes serviços e sistemas.
  4. Especificar uma linguagem declarativa que sirva para facilitar a configuração e orquestração dos elementos do serviço envolvidos na realização de peças musicais distribuídas. A linguagem deverá fornecer abstrações para definições prévias de mapeamento da qualidade da experiência (Quality of Experience, QoE) esperada pelos músicos, com a qualidade do serviço (Quality of Service, QoS) necessária para a orquestração dos recursos de manipulação e transmissão de áudio em atividades de experimentação musical em rede.
  5. Criar interfaces gráficas, abstrações e mecanismos que facilitem o uso do serviço por parte de músicos e produtores musicais, os quais não necessariamente deverão ter conhecimento técnico acerca das restrições que são inerentes impostas pelo ambiente de composição e execução musical em rede.
  6. Validar o protótipo desenvolvido com usuários músicos e produtores musicais, e realizar um conjunto representativo de peças musicais distribuídas.